No Circo

Questões relacionadas a diferentes culturas sempre me despertaram interesse e me inquietaram ao longo do tempo. Tal interesse foi se intensificando a partir de meados da década de 80, quando tive a oportunidade de morar no exterior por um período de dez anos. Na ocasião, além de conhecer lugares como a Coreia do Sul e Portugal, residi no México por quatro anos, no Japão por três e em Londres, na Inglaterra por seis meses. A experiência de vivenciar o cotidiano de tais culturas foi fascinante, mas, ao mesmo tempo, conviver com tantos outros, tão diferentes de mim e em diferentes fases da minha vida, foi uma experiência ao mesmo tempo enriquecedora e angustiante por conta dos tantos outros desconhecidos que se fizeram constantemente presentes, como: o idioma, o clima, a alimentação, os hábitos e costumes, os modos como se dão as relações interpessoais dentre outros.

No entanto, de todas estas experiências, certamente, a que mais me intrigou foi a cultura circense. Desde o início da minha chegada ao primeiro circo do qual tomei parte, pareceu-me curioso o modo como aquela comunidade coordenava todas as atividades cotidianas que orbitavam entre o trabalho, a família, o lazer, as relações interpessoais e o modo como tudo isso se articulava.

Deste modo, meu encantamento pelo universo do circo teve início ao final da década de 1980 quando fui para o México trabalhar como artista circense por um período de quatro anos. Trabalhar, viver e morar no próprio circo, além de uma valiosa experiência de vida tornou-se uma paixão, pois desde o primeiro momento fui tomada pelo signo de liberdade daquela vida itinerante, mesmo diante dos inúmeros desafios enfrentados no cotidiano circense, como viajar em caravanas, morar em trailer e as constantes mudanças de cidades para as apresentações.

Na Psicologia

A significativa experiência de participar ativamente do dia a dia do circo me fez refletir sobre processos culturais, a existência de diferentes modos de vida e sobre a forma como as pessoas agem e se comportam em contextos sociais diversos, despertando assim o meu interesse pelos estudos da Psicologia.

Desde então, o universo do circo continua entrelaçado em minha história de vida tanto pessoal quanto profissional e permanece irremediavelmente em meu coração.

Assim, tanto os meus estudos de mestrado e também de doutorado venho buscando abrir caminho para o encontro entre a Psicologia e Circo, interesses pessoais que insistem em dialogar e, também, contribuir com subsídios teóricos para pesquisadores de diferentes áreas que se interessem por essa temática. Dentre os meus temas de investigação acadêmica destaco a construção de cultural de significados, intersubjetividade, afetividade, temporalidade e confiança e suas implicações para o viver cotidiano e para as relações eu-outro.

Ficha Técnica

Confira abaixo parte da minha trajetória na Psicologia, experiências e obras publicadas.

  • Doutora e Mestre em Psicologia pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo;
  • Licenciada, Bacharel e Graduada em Psicologia;
  • Atua como Psicóloga Clínica e Organizacional;
  • Possui publicação em livros e revistas nacionais e internacionais;
  • Apresentou trabalhos referentes às suas pesquisas em congressos em países como Chile (2013) e Holanda (2014);
  • Co-autora de livro em homenagem aos 15 anos da Companhia de Circo de Teatro Tubinho;
  • Docente em cursos de extensão universitária e de pós-graduação nas disciplinas: Gestão de Pessoas, Gestão da Educação Corporativa, Gestão da Mudança dentre outras;
  • Facilitadora de Cursos e Treinamentos em temas relacionados a comportamento humano que visam desenvolver, aprimorar e potencializar habilidades pessoais e profissionais;
  • Idealizadora do Programa de Apoio Psicológico ao Circense Itinerante (APCI);
OFICINAS

  • O circo e seu cotidiano;
  • Inteligência emocional na prática;
  • Excelência na comunicação interpessoal;
  • Potencializando o poder do feminino– [só para Mulheres];
  • Convivência: os segredos das relações eu – outro.
  • Do picadeiro ao coração.

CURSOS

  • Curso Especial para Gestores
  • Curso Especial para Mulheres
  • O Circo e Seu Cotidiano
  • Bastos, S. (2017). Selves Itinerantes: a construção da confiança na temporalidade do circo. Tese de Doutorado (IP/USP).
  • Bastos, S. (2015). The partner in research: a closer look at the researcher – participant relationship. In Particulars and universals in clinical and developmental Psychology – critical reflections – a book honoring Roger Bibace. – Perspectives on Human Development. Aalborg University.
  • Bastos, S.; Guimarães, D. S. (2014).  Cultural-affective bonds in field-research: Towards a semiotic- constructivist understanding of circus daily life. Psychology and Society.
  • Bastos, S. (2013). Vida no circo é razão de afeto e encantamento para os circenses. (Agência USP de Notícias) – http://www.usp.br/agen/?p=157340
  • Bastos, S. ; Guimarães, D. S. (2013).  Researcher-Object Relationship: circus as a field of cultural symbolic actions.
  • Bastos, S. (2013). O circo e suas construções de sentido: um olhar para a perspectiva do circense sobre seu cotidiano. Dissertação de Mestrado. (IP/USP).
O Programa de Apoio Psicológico ao Circense Itinerante visa, em um primeiro momento, propiciar espaços para conversas com profissionais da Psicologia e também de outras áreas do conhecimento que tenham interesse em conhecer as especificidades do circo para posteriormente trabalhar com a comunidade em questão.

Nesta direção, os participantes do referido Programa, por estarem munidos do conhecimento necessário para auxiliar o circense, poderiam, por exemplo, realizar rodas de conversas temáticas nos próprios circos, com grupos de mulheres, pais, jovens, idosos dentre outros visando a promoção e a prevenção à saúde.

Cursos, Oficinas
e Palestras

Veja os cursos e oficinas que ministro
e monte uma ideia sob medida para
vocë ou sua empresa.

Saiba Mais

Receba novidades

Deixe seu nome e-mail para receber
informações e novidades.